Você está aqui:Home » Teísmo/Ateísmo » Refutações » Resposta ao Luc Anderssen: “Conformidade social – o experimento”

Resposta ao Luc Anderssen: “Conformidade social – o experimento”

O Luc Anderssen é um cientificista, é um idiota! Bom vamos ao que interessa.

Bom, o caso do vídeo vou chamar da Experiência A (EA) e vou fazer uma correlata Experiência B (EB) para entender o que há de errado com o cientificismo em questão.
A EB se dá assim:
Você (quem lê) esta em um bairro e quer pegar um ônibus. Ao andar um pouco vê um ponto de ônibus e pessoas em fila!
Pergunta: Se você ao ver as pessoas em fila também ficar em fila, repetindo o comportamento, terá agido irracionalmente ou de forma acrítica?
Me parece difícil dizer sim para essa pergunta. O problema que aponto aqui em EB não pode estar evidente em EA. Isso se dá por um motivo simples, para você responder essa pergunta, você se viu na situação e refletiu. Sua resposta para EB é diferente de EA pois considera seus estados intencionais. Estados intencionais são sobre as coisas, você QUER pegar um ônibus, você SABE o que é uma fila, você SABE que uma fila em um ponto é para pegar ônibus. E em EA, onde estão os correlatos? No vídeo não tem! Mas é por um erro de categoria!
O vídeo frisa um comportamento, um dado factual, os atores SÃO VISTOS levantando e disso a menina toma a mesma atitude. O cara que vem depois também, logo ambos repetem um comportamento (termo em significação behavorista) de forma irracional!
Vamos aos erros:
1- A mera sequência de eventos não justifica uma lei, isso é falácia naturalista, da menina agir assim, como o relato do vídeo (que fique claro) não constitui nada! Essa deficiência é ainda piorada com o nº 2.
2 – Assim como você em EB A MENINA ESTA LÁ POR UM MOTIVO, VÊ PESSOAS QUE ESTÃO LÁ PELO MESMO MOTIVO (ERAM ATORES FINGINDO PARA ISSO, NÃO ERAM?) mas EA não considera os estados intencionais no contexto, e pelo contrário piora ainda mais, se detém em frisar fatos materiais, Ora, não se explicam estados intencionais por descrições materiais ou comportamentais! A MENINA REPETIU O COMPORTAMENTO POR PENSAR QUE TODOS QUE ESTAVAM LÁ ERAM PELO MESMO PROPÓSITO E COMO ESTA LÁ PARA ISSO REPETIU O MESMO, TENDO ISSO EM VISTA. Ou você ao ir para um fila esta repetindo um movimento de forma irrefletida, acrítica?
3- Nos momentos iniciais aparece a legenda (-3:10) “a mulher esta obedecendo o grupo”. Aqui, o narrador para suprir a deficiência de estados descritivos emprega os seus próprios, pois a mulher estaria obedecendo (forma irrefletida) ou agindo na conformidade de um local ao qual ela tem que os mesmos estão lá para o mesmo propósito? Você obedece a fila para o ônibus ou age de forma civilizada com os demais! É normal behavorista empregarem suas intencionalidades , em vez de falar do que estudam passam a falar de si próprios!
Se pensar que a menina faz essa repetição de forma acrítica e não levar os estados intencionais relevantes é assinar a carteira de burro! Burro sim, pois é alguém que erra e se acha alguma merd@.
Recomendo procurar os livros “The counter-revolution as science”, de Hayek –  e “A miséria do historicismo”, de Popper.
Luc, você só tem seguidores porque a ignorância a respeito do que seja ciência é fomentada por pessoas como você! Se quem assiste seu vídeo, após a emissão de luz do monitor começar a agir de forma pseudo-cético (como você) foi o caso de de um comportamento irrefletido? Ou precisamos ver o que esta sendo transmitido e como foi inteligido?

Fonte: https://www.facebook.com/omni1coach/videos/574739919352449/?comment_id=1082591051779280&comment_tracking=%7B%22tn%22%3A%22R%22%7D

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Número de entradas : 1297

© 2011 Powered By Wordpress, Goodnews Theme By Momizat Team

Voltar para o topo