Você está aqui:Home » Apologética geral » Igreja Católica » BANZOLI MENTE DESCARADAMENTE SOBRE O MILAGRE DE LANCIANO

BANZOLI MENTE DESCARADAMENTE SOBRE O MILAGRE DE LANCIANO

Eu não tenho tempo para entrar em pendengas apologéticas, o doutorado me consume muito, mas às vezes a mentira é tão grotesca que tenho que me manifestar. Neste caso é sobre um artigo ridículo de apologeta mirim, cujo nome é Lucas Banzoli, sobre o milagre de Lanciano. Durante um debate sobre a Eucaristia numa comunidade de Facebook um artigo, usado pelos debatedores era de Banzoli, me chamou atenção, pois havia alto grau de desonestidade.  O nome do artigo é ‘Desmascarando o “milagre” de Lanciano’ de uma página chamada “Heresias” Católicas. No artigo, a triste figura tenta atribuir ao diabo os milagres que aconteceram e acontecem na Igreja Católica. Bem, que fique claro que quando uma pessoa atribui algo de Deus como ação demoníaca, nós sabemos como isso se chama: pecado contra o Espírito Santo (Mateus 12:31-32; Marcos 3:20-30). Segundo as Escrituras, esse pecado é o único que não será perdoado.

O apologeta mirim continua tentando desmerecer o milagre de Lanciano no artigo, segundo ele há falta de fontes, por não ter o nome do padre que presidia a missa, por dizer que não há registros históricos muito antigos etc. Enfim, um florilégio de besteiras. Como se muitos acontecimentos ou mesmo milagres na Antiguidade e Idade Média fossem 100% documentados. Aliás, a maioria dos milagres de Jesus aconteceram com pessoas das quais não sabe os nomes.

Enfim, chegando à parte que interessa, o ponto alto do artigo são as mentiras que o apologeta mirim utiliza, trechos deturpados do trabalho de investigação do professor italiano Oduardo Linoli[ii] sobre o Milagre de Lanciano.  O pretenso apologeta descreve como tivesse realmente lido o artigo do professor, e mente descaradamente. Vamos a alguns trechos destacados em azul:
Um católico poderia protestar: “Mas a carne se preservou!”. Sim, e caso ele não saiba, existe algo chamado mumificação natural. O próprio Linoli afirmou que as proteínas que ele encontrou nas amostras são as mesmas que são encontradas em múmias egípcias (preservadas por muito mais tempo que a carne do “milagre” de Lanciano). Há inclusive vários casos de peles de dinossauros com tecidos moles, que os católicos dificilmente admitiriam que se trata de um “milagre”. Para ler mais sobre o fenômeno de preservação natural conhecido como adipocere.

Mas o que diz realmente Linoli?

E anche da precisare che in nessuma sezione istologica sono comparsi elementi indicativi di un’ impregnazione del tessuto  da parte di sostanze mummficanti, quali eramo impiegate in antico per la conservazione dei tessuti. (LINOLI, 1971, p.664)[iii]

O que diz em italiano? Que o tecido não tem partes mumificadas por substâncias. Provavelmente que ele viu a palavra mumificação e concluiu que estava mumificado, é o tipo interpretação de leituras que fazem muitos apologéticos protestantes, fazem o mesmo com as leituras da Patrística, pegam um pedaço e deduz algo completamente diferente do que disse o autor. E muito menos é adipocere, pois ela é resultado do enrijecimento da gordura do cadáver (sobre isso mostraremos as conclusões de Linoli).

Mas continuando:

La proteine e gli antigeni dell’emogruppo AB presenti nell’ ântica Carne e nell’antico Sangue di Lanciano dono 1200 anni, concordano com Il ritrovamento delle proteine inegizie datanti de 4000 ani […] e de 5000 anni […], anche se è obiettivo riconoscer Che è molto diversa la situazione di um corpo mummificato com i noti procedimenti e rioarato al massimo de contatti com l’ambiente esterno, e quella di um lembo di miocárdio e di coaguli emarciti lasciati allo stato naturale durante i secoli ed, in più, espoti all’azione di agenti fisici atmosferici, ambientali e parassitari (Idem, p. 671).”

Segundo o texto os fragmentos estão de forma diversa da mumificação, ou seja, não estão mumificados ou em situação de adipocere.

3º Se foi um verdadeiro milagre, por que a carne não continua crua e o sangue não continua líquido? O Dr. Linoli disse que a carne estava apodrecida, como a carne de um cadáver. No entanto, a Igreja Romana garante que na hóstia consagrada está o Cristo ressurreto (vivo). Por que, então, o “milagre” de Lanciano mostra um cadáver, que se deteriora com o passar do tempo? Estaria a Igreja Romana querendo provar que Jesus não ressuscitou?

Linoli disse que a carne estava apodrecida? Onde? Não existe essa citação no artigo, portanto, MENTIRA em alto grau. Mentira de forma vergonhosa.

4º Linoli disse que o tecido não está “vivo”, mas seco. Ele descobriu ainda que o tecido que supostamente era parte do corpo de Jesus estava infestado de fungos e microorganismos. Estaria a verdadeira carne do Cristo ressurreto infestada de fungos? Como isso se diferencia de uma blasfêmia imoral contra Cristo?

Onde está isso no artigo? Não há isso, juro que tentei encontrar, pois não acredito que haja tanta desonestidade. Porém, há e me sobra vergonha, muita vergonha alheia.

Relicário contendo o milagre

Alguns fatos, num artigo científico a linguagem tem que ser clara, por isso não acredito que o apologeta mirim tenha tido contato com o artigo de Linoli, provavelmente leu de algum texto de apologética protestante, péssimo por sinal, em inglês e traduziu (a maioria faz isso) e jogou a informação com se fosse dele. Por isso vamos às VERDADEIRAS conclusões de Linoli (Idem, p. 670):

“- Il Sangue de miraculo eycaristico di Laciano e  risultato veramente sale, in base allá dimostrazione dell’emoglobina (ematina alcalina) em cromatografia in strato sottile.

 – La carne è risultata constituita de tesuto muscolare strita, che per l’unione delle fibre si dimostra appartenente al miocárdio.

– La Carne  ed Il Sangue  appartengono alla specie umana, come accertato in base ala reazione di precipitazione zonale di uhlenhuth.

– Il gruppo sanguigno determinato com Il método dell’assorbimento-proteico nella sangue nel sangue fresco normale.[…]”

As conclusões de Linoli sobre o Milagre de Lanciano são: este possui hemoglobina, é um pedaço do miocárdio, sangue humano e fresco como sangue normal e, portanto,  não de um cadáver como foi afirmado pelo apologeta vulgar.

Para terminar, tudo bem que não goste da Igreja Católica, mas não precisa mentir, dizendo que leu um artigo que não leu, e pecar contra o Espírito Santo atribuindo milagre ao diabo.  Sabemos muito bem quem é o pai da mentira. Aconselho a Banzoli ir direto as fontes do que ficar fazendo citação traduzida de adventistas americanos como se ele mesmo tivesse lido os originais.

Caso alguém queira verificar o artigo de Linoli eis o link: https://www.4shared.com/office/wcwm_0lGce/Lanciano_Article_16-45-35.html

Um texto maravilhoso sobre Lanciano é do jornalista Marcio Antonio Campos: http://archive.is/AQwi#selection-645.0-645.23

Por: Rogério Fernandes da Silva, Doutorando em Humanidades, Culturas e Artes. Atenção: Rogério Fernandes da Silva não é o Emerson de Oliveira, criador do Logos Apologética. Apenas cedemos espaço para o Rogério postar o texto aqui em resposta ao Lucas.

BIBLIOGRAFIA

LINOLI , Oduardo. Ricerche istologiche, immunologiche e biochimiche sulla carne e sul sangue de Miracolo eucarisitico di Laciano. Quad Sclavo Diagn. 1971 Sep;7(3), p. 661-74.

[i] Doutorando em Humanidades, Culturas e Artes.

[ii] Chefe de Serviço dos Hospitais Reunidos de Arezzo e Livre Docente de Anatomia e de Histologia Patológica e de Química e Microscopia Clínica.

[iii] Desculpe deixar em italiano, mas preferi a língua original do artigo para não gerar duvidas.

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Número de entradas : 1276

© 2011 Powered By Wordpress, Goodnews Theme By Momizat Team

Voltar para o topo