Você está aqui:Home » Apologética geral » “A tumba perdida de Jesus”: Será que os ossos de Jesus Cristo foram encontrados em Jerusalém?

“A tumba perdida de Jesus”: Será que os ossos de Jesus Cristo foram encontrados em Jerusalém?

The_Talpiot_TombJames Cameron produziu um filme de 90 minutos para o Discovery Channel, intitulado “A tumba perdida de Jesus”, alegando que os ossos reais de Jesus de Nazaré foram enterrados em um túmulo, perto de Jerusalém. Um livro complementar, A tumba de Jesus, escrito por Simcha Jacobovici e Charles Pellegrino, também está sendo oferecido. Além disso, na tradição do desacreditado Dan Brown, o filme afirma que esses ossos de “Jesus” foram uma vez casados com Maria Madalena, com quem teve um filho com o nome de Judá.

O momento do lançamento
O momento do lançamento do documentário pela Discovery antes da Semana Santa do cristianismo não foi por acaso. No ano passado a National Geographic lançou o especial “Evangelho de Judas” na época do feriado cristão do Domingo de Ramos. Pode-se estar certo de que o próximo grande “especial” irá ao ar ao mesmo tempo no próximo ano para tentar desacreditar o fundador do cristianismo numa altura do ano em que o interesse popular centra-se na Sua morte e ressurreição.

A datação dos ossos
Era costume judeu no primeiro século dC, que os ossos dos falecidos fossem transferidos de tumbas para caixas de pedra calcária chamados ossários um ano após a sua morte. Esta prática foi abandonada após a destruição do Templo judaico em 70 AD. Frank Moore Cross, professor emérito do Departamento de Línguas e Civilizações dO Oriente Próximo da Universidade de Harvard, indicou, “As inscrições são do período de Herodes (que ocorreu por volta de 1 a.C. a 1 d.C.). O uso de ossuários de pedra calcária e os estilos de escrita variadas são característicos da época”. Uma vez que Jesus não morreu até 30 dC, a data é problemática para aqueles que afirmam que representam os ossos de Jesus.

O que foi encontrado?
O túmulo contendo os ossos foi encontrado pela primeira vez por uma equipe de construção em 1980 no subúrbio de Jerusalém de Talpiot. Segundo o especialista bíblico Joe Zias, baseado em Jerusalém, o túmulo teria contido mais de 200 ossários. Dez ossários foram levados para o Museu Arqueológico Rockefeller, perto de Jerusalém, onde desapareceram. Seis dos ossários foram inscritos com nomes que seriam traduzido como Josué (Josué ou Jesus), Mara (Maria), Mateus, Josa (José), Mariamene (Maria Madalena?) e Judá, filho de Jesuá.

São os nomes daqueles da Sagrada Família?
Stephen Pfann, um estudioso da Bíblia na Universidade da Terra Santa, em Jerusalém, não tem certeza de que o nome ” Jesus ” no ossuário foi lido corretamente, dado que a antigo escrita semita é difícil de ler. Ele acha que é mais provável que o nome seja ”Hanun”. O prof. Amos Kloner, da universidade Bar-Ilan indicou que as inscrições “Jesus, filho de José” tinham sido encontradas em vários outros ossuários ao longo dos anos. Além disso, Kloner indicou, “Não há nenhuma probabilidade de que Jesus e seus parentes tinham uma tumba da família. Eles eram uma família da Galiléia sem vínculos em Jerusalém. A tumba de Talpiot pertencia a uma família de classe média do século 1 dC.”

O que o teste de DNA nos dizem?
Segundo o site do filme, o teste de DNA foi tentado em apenas duas amostras – os de “Jesus” e os de Mariamene. O ADN estava tão degradado que não poderia ser determinado pela sequenciação do ADN nuclear (os principais cromossomas). Apenas o DNA mitocondrial (mtDNA) estava disponível para o sequenciamento. Dado que o mtDNA é muito menor do que o DNA nuclear, o mtDNA médio da pessoa é diferente de outro por apenas 8 pares de bases. Nas comunidades estreitamente relacionadas, as diferenças seriam muito menores. O site do filme não dá quaisquer detalhes sobre o teste que não seja a alegação de que os indivíduos “não foram relacionados.” Uma vez que “Jesus” e Mariamene eram “independentes”, os cineastas assumiram que eram casados e tinham um filho chamado Judá (a partir do ossuário “Judá, filho de Jesuá”). No entanto, a conclusão de que “Jesus” e Mariamene eram casados ​​não pode ser determinado a partir da evidência de DNA. Dado que o mtDNA só é transferida da mãe para filha (ou filho), “Jesus” poderia muito bem ser o pai de Mariamene (ou qualquer outro parente pelo lado paterno), e os testes de mtDNA indicariam que eles não eram “relacionados”. Só a análise do DNA nuclear poderia determinar se “Jesus” e Mariamene foram verdadeiramente relacionados ou não. Assim, o teste de mtDNA nos diz apenas que “Jesus” e Mariamene não eram irmãos ou relacionados maternalmente. Nenhuma outra relação pode ser determinada a partir do teste de mtDNA.

É Mariamene Maria Madalena?
A suposição de que Mariamene é realmente Maria Madalena é bastante exagerada, uma vez que o nome de “Mariamne” dos Atos de Felipe não é o mesmo que Mariamene. Além disso, os Atos de Felipe é o trabalho de uma comunidade herética que viveu no século IV – pelo menos 250 anos após os eventos do Novo Testamento.

Conclusão
O especialista bíblico baseado em Jerusalém Joe Zias chamou o documentário de absurdo, dizendo que os envolvidos no projeto “não têm credibilidade alguma… É uma velha história que tem sido reciclada. A história veio à tona pela primeira vez em 1996 pela BBC. Ela foi desacreditada alguns dias depois”. O fato de que as inscrições nas ossários datam do início do primeiro século e Jesus e os outros morreram muito mais tarde, torna extremamente improvável que o “Jesuá” da “tumba de Jesus” seja realmente Jesus Cristo . De acordo com Stephen Pfann, “Como isto possível? Em uma escala de um a 10 – sendo 10 completamente possível – isto dá provavelmente a um, talvez um e meio.”

Fonte: http://www.godandscience.org/apologetics/bones_of_jesus.html
Tradução: Emerson de Oliveira

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Número de entradas : 1321

© 2011 Powered By Wordpress, Goodnews Theme By Momizat Team

Voltar para o topo