You Are Here: Home » Ciência » A vida mostra as impressões digitais de Inteligência

A vida mostra as impressões digitais de Inteligência

765px-Chirality_with_hands.svgNo ano passado, debati com o ateu Richard Carrier sobre a questão “Deus existe?” Gostaria de rever alguns dos argumentos que fiz durante esse debate e as respostas de Carrier. Se você gostaria de ver todo o debate, você pode vê-lo no canal do Come Reason no YouTube. Você também pode receber um DVD do debate, juntamente com vários bônus, fazendo uma doação ao ministério aqui.

Um dos pontos que ofereci para a existência de Deus é o fato de que a própria vida mostra as impressões digitais de inteligência. No debate, argumentei:

Em toda a existência humana, tem sido facilmente entendido que a vida vem da vida, já que em nenhum momento os seres humanos observaram qualquer outra coisa. E agora, a ciência acumulou ainda mais evidência para a singularidade absoluta dos sistemas vivos como sistemas não-aleatórios, portadores de informação. Os seres humanos têm consistentemente reconhecido que essa informação altamente especificada — desde os desenhos em caverna desenhos a sistemas de computador — é sempre o resultado de uma mente inteligente.  As características de identificação de inteligência são

  • São SISTEMAS COMPLEXOS
  • São ESPECIFICAMENTE PREPARADOS para realizar uma função
  • São altamente contingentes. Em outras palavras, não há nada que obriga os padrões a emergir como fazem.

Os decifradores de códigos na Segunda Guerra Mundial e os cientistas que buscam sinais de vida extra-terrestre usam estes critérios em separar o que é natural e o que é o sinal de trabalho de uma mente. Agora, quando olhamos para dentro de células vivas, vemos que elas apresentam as mesmas marcas de inteligência. Por exemplo algumas das bactérias mais simples têm uma molécula de ADN que têm de cerca de 4.000.000 nucleótidos de comprimento. Estes nucleotídeos precisam estar exatamente na ordem correta ou as bactérias não poderiam viver. Na verdade, Gustaf Arrhenius afirma que possivelmente existem mais sequências de nucleotídeos do que há átomos no universo. No entanto, estes são ordenados perfeitamente em sistemas para construir as proteínas necessárias para a vida.

Em segundo lugar, os aminoácidos, os elementos que constroem as proteínas, também são selecionados perfeitamente. Os aminoácidos são o que são conhecidos como “transmissores”, isto é que ocorrem em duas formas que espelham uns aos outros como uma mão esquerda e direita. Cada um destes tipos é igualmente distribuído na natureza: as probabilidades de cada um são de 50% e que vai ligar-se a molécula de ARN equivalente. Mas TODAS as proteínas biológicas devem usar somente aminoácidos canhotos para a vida existir.

Então, como pode uma molécula de RNA se formar de forma aleatória por apenas selecionar os ácidos canhotos? Dado que as bactérias têm, por exemplo, 4 milhões de nucleotídeos de comprimento, como elas podem montar ao acaso usando aminoácidos canhotos? É por estas e outras razões que o matemático Murray Eden do MIT declarou que o surgimento ao acaso da vida a partir da não-vida é impossível. Francis Crick, o co-descobridor do DNA, também declarou que “a origem da vida parece no momento ser quase um milagre“. O DNA e os sistemas moleculares necessários para a vida são específicos e complexo o suficiente para descartar o acaso. E uma vez que os sistemas complexos que são específicos são também um sinal de uma mente inteligente, é razoável sustentar que a “inteligência” é responsável pela vida.

Amanhã, vou discutir a resposta de Carrier a esta linha de argumentação.

Fonte: http://apologetics-notes.comereason.org/2013/12/life-itself-shows-fingerprints-of.html
Tradução: Emerson de Oliveira

Sobre o autor

Artigos publicados : 1194

© 2011 Powered By Wordpress, Goodnews Theme By Momizat Team

Scroll to top
Powered by WordPress