Você está aqui:Home » Apologética geral » Igreja Católica » Predestinação católica, molinismo e tomismo

Predestinação católica, molinismo e tomismo

Thomas AquinasA doutrina católica não é nem pelagiana nem semipelagiana, embora sejamos constantemente falsamente acusados disto por calvinistas e até mesmo nas confissões luteranas. Calvinistas também acusam injustamente arminianos protestantes (incluindo luteranos) de semipelagianismo. Basicamente, muitos calvinistas (com sua mentalidade de “outro modo/ou”) criticam qualquer posição que se liga ao livre arbítrio e predestinação em paradoxo, como sendo verdadeira (como a Bíblia), como os pelagianos. Não se pode compreender Deus predestinando pessoas com livre-arbítrio. Seus pressupostos não permitem isso.

Muitos luteranos também (que são arminianos) não compreendem que a soteriologia católica não é semipelagiana, porque acreditamos em coisas como mérito, penitência e purgatório. Eles não podem envolver suas mentes em torno dessas coisas como causa da graça, e assim eles (em suas próprias confissões “oficiais”) nos acusam de pelagianismo. Não é verdade. Tenho escrito muito sobre este assunto.

Católicos se dividem em dois campos sobre a questão da predestinação: tomismo e molinismo. Às vezes, os tomistas acusam os molinistas de serem semipelagianos e molinistas acusam os tomistas de serem calvinistas de “soteriologia da predestinação”, mas isto não é verdade, e a Igreja afirmou que nenhum lado pode anatematizar o outro. As duas opções são plenamente admissíveis. Eu mesmo sou um molinista. E me envolvi em ampla discussão sobre esta questão.

S. Agostinho não rejeitou o livre-arbítrio humano como os calvinistas. Sua posição é diferente da deles. A Igreja ensina que os eleitos salvos são predestinados (e isso é verdade tanto ao tomismo e molinismo). Ela ensina (assim como Agostinho e contra o calvinismo) que temos o livre arbítrio, também. Mas nega que os condenados são predestinados para o inferno (“dupla predestinação”). As pessoas salvas escolhem aceitar a graça de Deus para a salvação, inteiramente pela graça de Deus. Os condenados optam por rejeitar essa graça, e então basicamente optam por separar-se de Deus e ir para o inferno por toda a eternidade. Deus não predestina isso, como o calvinismo (e Martinho Lutero) ensina. CS Lewis fez um comentário interessante que “as portas do inferno estão trancadas por dentro.”

Os católicos se contentam em viver com o mistério e paradoxo. Nós não sentimos a necessidade de resolver todas as questões profunda na teologia, como os protestantes costumam fazer, com suas controvérsias internas intermináveis.
O molinismo não nega a predestinação e não é semipelagiano (nem é oficialmente exigido que qualquer católico acreditar nisso). Como é que alguém “escolhe Deus”? Essa é uma das grandes questões da maior discussão. O molinismo não apresenta qualquer obstáculo insuperável para esta pergunta. Eles escolhem, da mesma forma que escolhem pecar ou não pecar em qualquer dado momento. Se buscamos a Deus (e a própria busca é necessariamente e sempre causada por Deus), Ele nos dará a graça que permite nos abstermos do pecado para seguir todo o caminho para a salvação. Mas nós fazemos essa escolha , e isso é pressuposto na Bíblia (e na teologia católica), juntamente com a necessidade absoluta de graça e predestinação dos eleitos. O que Trento ensina sobre a salvação é perfeitamente compatível com qualquer molinismo ou tomismo. Se os primeiros eram semipelagianos, a Igreja teria condenado junto com a antiga heresia. Mas não condenou.

De um modo geral, considero que a vida prática do dia a dia do cristão e como ser um fiel católico são muito mais importantes no esquema das coisas do que altas discussões abstratas e intensamente filosóficas de alguns dos maiores mistérios da fé. Elas normalmente geram muito mais calor do que luz. Já participei de muitas delas, também, como qualquer um pode ver, mas a ênfase que coloco nela é muito baixo em minhas prioridades como um apologista cristão católico e geral.

Fonte: http://socrates58.blogspot.com.br/2008/03/catholic-predestination-molinism-and.html
Tradução: Emerson de Oliveira

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Número de entradas : 1279

© 2011 Powered By Wordpress, Goodnews Theme By Momizat Team

Voltar para o topo