Você está aqui:Home » Atualidades » Papa Francisco: “Há uma guerra mundial para destruir o casamento, a coisa mais bela criada por Deus”

Papa Francisco: “Há uma guerra mundial para destruir o casamento, a coisa mais bela criada por Deus”

32756_el_encuentro_con_los_consagrados_fue_ocasion_para_uno_de_los_pronunciamientos_mas_duros_del_papa_contra_la_ideologia_de_genero_

A reunião foi dedicada à ocasião de um dos mais duros pronunciamentos do Papa contra a ideologia de gênero.

“O casamento é a coisa mais linda que Deus criou”, disse neste sábado o Papa Francisco, “porque, como diz a Bíblia, quando um homem e uma mulher se tornam uma só carne são a imagem de Deus“.

E sobre a ideologia de gênero, ele disse que “atualmente  uma guerra global para destruir o casamento“, não com armas, mas com idéias “assentamentos ideológicos que destroem” e disse que “é preciso se defender delas”.

Deus e crianças, vítimas de divórcio
O Papa se referiu ao casamento em resposta a uma senhora da Geórgia, Irina, que lhe fez uma pergunta durante a reunião que o Papa teve na Igreja de Asunta, na Catedral Católica de Tbilisi (Tbilisi) com sacerdotes, seminaristas, religiosos, consagrados e leigos. O templo foi convertido em um ginásio para os comunistas e reconstruído após o colapso da União Soviética.

O Santo Padre reconheceu as tentações e problemas que podem existir em um casamento, bem como a opção de divórcio e “reiniciar novamente:” Os gastos com o divórcio são pagos duas pessoas: Deus, porque quando a carne estiver suja a imagem de Deus fica suja e os filhos é que pagam”.

O segredo: “por favor, obrigado, perdão”
Reiterando conceitos que se tem escutado várias vezes no últimos anos, Francisco considerou normal que em um casamento possa ser uma discussão, mesmo “pratos voadores”, mas se existe amor, a paz se faz em seguida: “Podem discutir o quanto quiserem, mas não terminem a jornada sem que se faça a paz” disse ele, porque “a guerra fria no dia seguinte é perigosa”. Você tem que fazer a paz e para isso é suficiente um gesto ou uma carícia.

Há situações mais complexas, disse o Santo Padre, “em que o diabo vem “quando aparece uma mulher que parece mais bonita do que sua esposa ou um homem que parece mais válido do que o seu esposo. Nesse caso, “peça ajuda imediatamente“, pediu o Papa.

Portanto, ele pediu a todos os crentes que recebam, acompanhem,  discirnam e integrem porque na comunidade católica deve-se ajudar a salvar casamentos.

A um casamento iria perguntar: “é isso o que querem?” Se disserem que ‘sim’, acrescentou: E quando alguém faz algo pelo outro, sabem dizer ‘obrigado’?” E quando alguém se comporta mal, você sabe pedir desculpas? E se você tem um programa, você sabe pedir opinião do outro? Por favor, obrigado, desculpe“, disse ele, “três palavras que permitem que um casamento vá bem e para frente.

O exemplo da anciã “não tão anciã”
Como relatado por Zenit, antes desta intervenção, no início da reunião, o monsenhor Giuseppe Pasotto, administrador apostólico do Cáucaso dos latinos, agradeceu ao Papa por sua visita apostólica: “a sua presença nos encoraja a permanecermos firmes na fé de nossos antepassados .”

Ele observou que a Geórgia foi a terra natal do “nosso primeiro santo mártir, S. Vartan Mamigonian, que sacrificou sua vida junto com seus companheiros para defender a fé cristã” em 451.

Durante o seu discurso espontâneo para aqueles reunidos na catedral, o Papa citou o que aconteceu na manhã do dia de sábado, após a turnê que ele fez em veículo aberto e a pé. Uma mulher idosa de mais de oitenta anos (“bem, não tão velha“, brincou, promovendo o riso de todos, em velada alusão à sua própria idade: faz aniversário em 17 de dezembro) cumprimentou-o com carinho por trás das cercas. “Ela tinha um dente de ouro, como se usava antes” explicou Francisco. Ela disse que era armênia e viveu na Geórgia e tinha viajado várias horas para ver o Papa na sexta-feira e sábado.

“Eu queria para ver Pedro!”, se admirou Francisco, que tomou a oportunidade para elogiar esta fidelidade na fé e “a capacidade para receber o tesouro da fé, preservá-la e passá-la , fazê-la crescer e dar aos nossos filhos“.

Assim, em Cracóvia pediu aos jovens para conversar com os anciãos, porque “são os avós que nos deram fé”. “Uma fé sem o testemunho dos avós não cresce e é uma fé que não testemunha para aqueles que vêm“, incitou Francisco: “a fé precisa ter memória do passado, coragem para o presente e esperança para o futuro.”

Em caso de tentações contra a vocação
Nesse elogio às mães e avós, que tem demonstrado em várias ocasiões nos poucos discursos até agora na Geórgia, o Papa incluiu também o seu apoio às vocações. Um seminarista também interveio e perguntou: “o que sua mãe lhe disse quando era criança e lhe falou que queria a ser como aquele padre celebrando?” Quando o seminarista disse que tinha aceitado a ideia, Francisco valorizou isso porque “a mulher perdeu um filho”: “No início de uma vocação está sempre a mãe ou avó”, sentenciou.

E por isso convidou a todos os religiosa para proteger a memória dessa primeira chamada, particularmente em momentos em que a vocação é testada: é preciso “lembrar que fostes chamados pelo Espírito Santo, nunca olhe para trás, exceto para lembrar do primeiro momento e confiar a Virgem Santíssima em apuros espirituais”.

Fonte: http://www.religionenlibertad.com/francisco-hay-una-guerra-mundial-para-destruir-matrimonio-cosa-52249.htm
Tradução: Emerson de Oliveira

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Número de entradas : 1306

© 2011 Powered By Wordpress, Goodnews Theme By Momizat Team

Voltar para o topo