Você está aqui:Home » Apologética geral » A crítica da homossexualidade favorece as altas taxas de suicídio?

A crítica da homossexualidade favorece as altas taxas de suicídio?

Na semana passada, o Supremo Tribunal do Canadá derrubou por unanimidade muitas das leis da nação contra a prostituição. A decisão não foi porque as leis corromperam os precedentes legais, mas foi porque o tribunal considerou que, ao tornar a prostituição clandestina, as leis “impõem condições perigosas” (grifo original) às prostitutas por serem vulneráveis ​​à violência e, portanto, violam o básico de valores que o Canadá detém.

Esse tipo de raciocínio é, é claro, insano. A prostituição é ilegal porque causa danos a pessoas e comunidades. Por exemplo, é amplamente conhecido que os homens que visitam prostitutas pegam doenças sexualmente transmissíveis como gonorréia, herpes ou AIDS. Eles vão então para casa e dormem com suas esposas, infectando-as. As jovens que são deslocadas estão mais em risco de ficar presas na prostituição, pois um serviço legalmente disponível cria a necessidade de mais e mais profissionais do sexo. Fazer a prostituição legal não livra as meninas do perigo; Provavelmente irá piorar.

 

No entanto, a prostituição não é a única área onde tal raciocínio existe, mesmo na igreja. A homossexualidade é outra área onde prevaleceu a confusão. No mesmo dia, o tribunal canadense pronunciou sua decisão, o pastor de jovens, Tyler Smither, escreveu um artigo de blog intitulado O que você acredita sobre a homossexualidade não é importante. Depois de notar que há um forte debate teológico sobre o assunto, Smither observou que 30% das crianças que se identificam como homossexuais cometem suicídio. Ele então escreve: “Não importa se você acha que a homossexualidade é um pecado, ou se você acha que é simplesmente outra expressão do amor humano. Não importa. Por que isso não importa? Porque as pessoas estão morrendo. Literalmente se matando porque estão tão cansadas ​​de serem rejeitadas e desumanizadas que sentem que sua única opção é terminar sua vida”. Entretanto, conclui que devemos manter nossas opiniões sobre a correção ou a injustiça da homossexualidade para nós mesmos, pois é a coisa moralmente responsável a fazer. Esse tipo de pensamento é bem-intencionado, mas tão equivocado quanto a decisão do tribunal do Canadá.

Primeiro, não está nada claro que “dizer a um garoto gay que você o ama e você não quer que ele morra” irá resolver esse problema. Na verdade, pode não conter o problema. Os Centros para o Controle de Doenças dos EUA publicaram dados que mostram que homens que fazem sexo com homens têm taxas mais altas de abuso de substâncias, envolvem-se com práticas sexuais de alto risco e até 44% experimentam violência doméstica dentro de seu relacionamento entre pessoas do mesmo sexo. Portanto, não se segue que as taxas de suicídio são mais altas do que o normal, simplesmente porque outros estão criticando seu comportamento.

O aumento do suicídio não se limita apenas a jovens homossexuais. Os EUA A Biblioteca Nacional de Medicina publicou um relatório detalhando as altas taxas de suicídio entre os alcoólatras. Os desistentes do ensino médio também estão em maior risco. Contudo, os transexuais têm a mesma taxa de suicídio que as crianças homossexuais com as quais Smither se preocupa, mesmo depois de completarem suas cirurgias e sua transição! É óbvio que a cura proposta não está funcionando lá.

Eu concordo que a perda de vidas que vemos para jovens crianças homossexuais é abominável. Eu concordo com Smither que devemos fazer tudo o que pudermos para salvar o maior número possível de crianças. Mas aceitar a pessoa não é o mesmo que dar um passe livre ao comportamento homossexual, mais do que poupar jovens atraídas pela indústria do sexo significa abolir as leis de prostituição. Devemos tentar entender e sermos compassivos, mas não desculpar sua propensão para encontros do mesmo sexo. Caso contrário, estaremos ampliando uma porta que destrói um dos três seres humanos, o que não é de todo uma coisa moral a fazer.

Fonte: http://apologetics-notes.comereason.org/2013/12/does-criticism-of-homosexuality-foster.html
Tradução: Emerson de Oliveira

 

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Número de entradas : 1244

© 2011 Powered By Wordpress, Goodnews Theme By Momizat Team

Voltar para o topo